Notícias

2020: ANSIEDADE PRÉ-ELEITORAL SÓ ATRAPALHA!

1. Três importantes alterações na legislação eleitoral alteraram as condições eleitorais. Quem se antecipar, levando em conta as regras de 2016 e de antes, estará correndo riscos desnecessários.

2. A primeira delas é que, agora, as coligações, nas eleições proporcionais, no caso de vereadores, estão proibidas. Cada partido contará apenas com seus próprios candidatos. A contabilidade de antes, avaliando as probabilidades dentro de outra legenda coligada, não existirá mais.

3. A segunda é a janela eleitoral que será reaberta em março. Esta vai provocar uma dança partidária, especialmente pelo fim das coligações. O resultado eleitoral de 2018 nas eleições proporcionais ajudará as avaliações. Quantos e quais não teriam sido eleitos sem as coligações?

4. Neste momento, já começaram as contas por parte dos pré-candidatos que precisam somar os votos de outra legenda para se elegerem. Ou seja, agora precisam mudar de legenda e esperam março com ansiedade. Mas as conversas e decisões precisam ser antecipadas.

5. E as legendas mais fortes fazem suas próprias contas para ver se vale a pena abrir a sua janela, o que pode prejudicar — seus atuais.

6. A terceira questão é a nova regra eleitoral que estabelece que só são considerados eleitos os candidatos que obtiverem 10% ou mais do voto geral de legenda. Em 2016, no Rio, foram 5.841 votos, ou 0,2%. Menos que isso o candidato estaria excluído.

7. Se levarmos em conta as super votações obtidas em 2018 para deputados e o novo quadro eleitoral com a eleição presidencial de 2018, veremos os riscos que votações tipo Tiririca podem gerar para candidatos com pequenas votações.

8. No Rio, em 2016, os partidos que obtiveram o maior número de votos de legenda não incluíam o PSL, que cresceu em 2018 com a eleição presidencial. Os partidos com os mais fortes candidatos a prefeito foram os que tiveram a maior quantidade de votos de legenda. Em outro extremo, o partido que controlava a prefeitura do Rio e elegeu a maior bancada. E agora?

9. A escolha dos candidatos a prefeito em 2020 terá, obrigatoriamente, de levar em conta as 3 questões elencadas. Os partidos fortes em suas candidaturas a vereador terão que lançar candidatos a prefeito mesmo que não estejam entre os pré-favoritos.

10. Bem, que todos comecem a fazer suas contas e conversar com potenciais pré-candidatos a prefeito e a vereador para a montagem de suas candidaturas. Há tempo. Março ainda está longe. Ainda.

fonte: Site Cesar Maia

www.cesarmaia.com.br

Print Friendly, PDF & Email

2 comentários

Deixe uma reposta