Brasil

Bolsonaro anuncia 38 como número do Aliança pelo Brasil

O presidente Jair Bolsonaro anunciou, na noite desta quinta-feira,  que número escolhido para representar o partido que está sendo criado por ele, o Aliança pelo Brasil, será o 38.  O número é o mesmo do revólver calibre 38 e se associa ao discurso de que todos tenham o direito de portar arma para se defender

O número escolhido é o 38.  Acho que é um bom número, né?  Não tinha muitas opções. O número 38 é um número mais fácil de gravar – disse Bolsonaro, em transmissão ao vivo na internet, sem explicar a referência ao calibre do revólver.

O  programa do partido apresentado nesta manhã, em evento em um hotel em Brasília, diz que “se compromete a lutar incansavelmente até que todos os brasileiros possam ter plenamente garantido seu direito inalienável de possuir e portar armas,  para sua defesa e a dos seus, bem como de sua propriedade e de sua liberdade.”

Parte do grupo envolvido na criação da legenda defendia que o número 80 representasse o Aliança. Pela manhã durante o lançamento da legenda, em conversa observada pelo GLOBO, o presidente Bolsonaro sinalizou que ainda não havia tomado a decisão a respeito, mas que tendia a escolher o 80.

Após a solenidade dentro do auditório no Hotel Royal Tulip, Bolsonaro subiu em um palanque montado na área externa para discursar a apoiadores. O locutor no local perguntou perguntou qual seria o número do partido.

– Está entre 38 e 80, mas está mais para o 80 – respondeu Bolsonaro ao ouvido do homem. O trecho da conversa foi flagrado porque o microfone do locutor estava ligado e permitir a audição.

Durante a transmissão ao vivo nas redes sociais, Bolsonaro disse que o Aliança é um partido que está sendo criado para atender os desejos da “grande mairoia da população”.

– O primeiro passo para fundar este partido foi dado hoje nos moldes que grande maioria da população sempre desejou. Um partido conservador, um partido que defende a legítima defesa. é favorável ao porte de arma de fogo, a posse também, mas não é para todo mundo, deixo bem claro. Tem alguns pré-requisitos – destacou.

Assim como havia feito pelo manhã, ele mais uma vez admitiu que o partido pode não ser criado para participar das eleições 2020 caso o Tribunal Superior Eleitoral não aceitar a coleta de assinatura digital.  A decisão do TSE está prevista para a próxima semana.

– Se for (assinatura) eletrônica eu tenho certeza que com o apoio de vocês em um mês, no máximo, a gente consegue as 500 mil assinaturas. Caso não seja possível, a gente vai colher assinatura física e aí demora mais e não vai ficar pronto o partido tão rápido, um ano, um ano e meio – disse Bolsonaro.

 

 

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma reposta