Rio de Janeiro

Camelôs do Rio fazem manifestação pelo direito de voltar a trabalhar nas ruas

Trabalhadores ambulantes do Rio de Janeiro farão nesta segunda-feira (03/05), a partir das 10h30, uma manifestação seguida de oração feita pelo pastor Roberto Cavalcante  pelo direito de poderem trabalhar nos espaços reservados a este tipo de comércio na cidade. O ato aconteceu em frente à Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos, também conhecida como Igreja da Uruguaiana, no centro do Rio.

Segundo o Movimento Unido dos Camelôs (Muca), a Prefeitura do Rio vem tentando impedir a atuação dos trabalhadores no camelódromo da Uruguaiana, no centro da cidade, e desde quarta-feira (9/04) passada a tensão vem aumentou, resultando em confrontos com a Guarda Municipal.

Na última quinta-feira (29), o Muca afirmou que houve uma forte ofensiva da Guarda Municipal, com bombas e balas de borracha contra os camelôs. “A guarda municipal invadiu o Camelódromo da Uruguaiana, atirou bombas e balas de borracha para impedir que as pessoas possam vender”, diz comunicado do movimento.

Em nota, a Guarda Municipal informou que no último dia 10 agentes atuavam no ordenamento urbano quando, por volta das 17h, ambulantes irregulares iniciaram uma discussão e atiraram pedras contra um carro da instituição, danificando os vidros. Houve perseguição, dois homens foram detidos e levados para a 4ª DP (Centro), onde o ocorrência foi registrada.

“A equipe precisou utilizar equipamentos de menor potencial ofensivo para dispersar o tumulto que se formou no local. Nenhum guarda municipal ficou ferido. A situação foi controlada”, afirmou a assessoria da Guarda Municipal.

Ato

A manifestação, que fará distribuição de máscaras e álcool em gel no local, tem o objetivo de denunciar a situação e sensibilizar a sociedade sobre a necessidade que os camelôs têm de trabalhar no contexto da pandemia e com o fim do auxílio emergencial.

O Muca também convidou órgãos de trabalho e direitos humanos da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ) para  ajudar na negociação com a Prefeitura do Rio e a Guarda Municipal o retorno do trabalho o mais rápido possível.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma reposta