Notícias

Cláudio Castro toma posse como governador do Rio após impeachment de Witzel

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) empossa neste sábado (1), às 10h, Claudio Castro (PSC) como o novo governador do estado. A cerimônia acontece um dia após a confirmação do afastamento de Wilson Witzel do cargo, com a votação de 10 a 0 feita pelo Tribunal Especial Misto (TEM).
Na sexta (30), Castro disse em uma nota à imprensa que “manterá sua premissa histórica do diálogo para superar os desafios de pacificar o Rio e unir esforços no enfrentamento à Covid-19, à fome, à pobreza e pela geração de empregos”.
Claudio Castro já estava à frente do estado como governador interino desde agosto de 2020, quando Wilson Witzel foi afastado do cargo por decisão do ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça. Ele foi eleito como vice-governador na chapa e agora será empossado em definitivo.

Advogado e cantor, Castro assumiu em definitivo cerca de 24 horas após o Tribunal Especial Misto, formado por desembargadores e deputados estaduais, condenar o agora ex-governador Wilson Witzel (também do PSC) em processo de impeachment, baseado na suspeita de desvios em contratos públicos durante a pandemia da Covid-19.

“É chegada a hora de olharmos para frente. O momento é, realmente, de reconstrução, de firmarmos um pacto pela retomada dos empregos, de enfrentarmos a pobreza e a fome. A população exige um governo sólido, sustentável e de diálogo. Um governo que estimule a geração de empregos, que ofereça saúde e segurança, que invista na educação de nossos jovens, e que trabalhe em conjunto com todos os poderes”, disse Castro em seu discurso de posse.

O governador afirmou que acredita que na vacina para vencer a Covid-19. “Foram mais de 43 mil vidas perdidas pela Covid-19 [no Rio de Janeiro]. Uma dor que nos consome. Eu me solidarizo com cada família que perdeu uma pessoa amada para essa terrível doença. Acredito na vacina para vencermos essa pandemia. No entanto, o desafio não é fácil. Há, ainda, um longo caminho a ser trilhado.”

Impeachment de Wilson Witzel

Witzel perdeu o cargo de governador, para o qual foi eleito no pleito de 2018, e também teve decretada a perda dos seus direitos políticos por um período de cinco anos. A decisão foi unânime, 10 a 0, pela condenação e pela perda dos direitos. A única divergência foi na modulação da pena. Nove votos determinaram a condenação por cinco anos, enquanto o deputado estadual Alexandre Freitas (Novo) propôs quatro anos.

Castro já estava à frente do Palácio das Laranjeiras desde agosto de 2020, quando Witzel foi afastado do cargo por decisão do ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Eleito vice-governador na chapa de Witzel, ele estava interinamente como governador e foi empossado em definitivo neste sábado (1º) por ser o primeiro na linha de sucessão.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma reposta