Notícias

Com pauta anticorrupção, PRTB de Mourão busca bolsonaristas decepcionados

O Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), aquele cujo presidente carrega a bandeira histórica de construir aerotrens país afora, vislumbra uma nova oportunidade para fazer o seu projeto político decolar. Depois de chegar à vice-presidência da República, representada pelo general Hamilton Mourão, a legenda agora tenta se aproximar do eleitorado que apoiou Jair Bolsonaro nas últimas eleições, mas hoje se diz decepcionado com o presidente da República.

Autodeclarado um homem do futuro, Levy Fidelix, presidente do PRTB, quer atrair essa parcela da população que ficou “órfã” de Bolsonaro. O mote do discurso já está pronto. A ideia é aproveitar o rompimento do ex-juiz Sergio Moro com o governo e a aproximação do presidente com o Centrão, grupo de partidos que figurou nos principais escândalos do país, para fisgar a parcela do eleitorado que apoiou o ex-capitão por causa da sua agenda anticorrupção.

“Nosso principal projeto é a limpeza na área de corrupção. Pode-se fazer algo com mais consistência. É o que eu estou vendo agora com esses partidos do Centrão. Não funcionou a possibilidade de fazer uma gestão sem termos a participação desses partidos que estiveram envolvidos em todos os tipos de escândalos, do mensalão ao petrolão. Está todo mundo aí de novo”, afirma o cacique do PRTB.

O primeiro passo da investida será atrair parte dos deputados que se elegeram pelo PSL, partido pelo qual Bolsonaro chegou à Presidência, mas que acabaram rompidos com o ex-capitão. A meta de Fidelix é juntar até dez deputados para o seu partido, hoje sem nenhuma representação na Câmara Federal – o que, de tabela, deixa a legenda com apenas um naco do polpudo Fundo Partidário.

“A minha tese é a seguinte: se marido e mulher brigaram, para onde vão os filhos? Ou para casa do titio ou para a do vovô. Como eu sou jovem, vem pra casa do titio, né?”, explica Fidelix, recorrendo ao tradicional costume de Bolsonaro de comparar a política a um casamento.

Outro grande trunfo da legenda é o próprio vice-presidente da República. Fidelix afirma que o general vem desempenhando um excelente trabalho na segunda cadeira mais importante do Planalto e é tido como uma “figura exponencial” dentro do partido. “O Mourão faz parte do projeto presente-futuro”, afirma o presidente do PRTB.  A expectativa é que o vice chegue a figurar na campanha de alguns candidatos a prefeito neste ano.

O partido que hoje não tem nenhum deputado, nenhum senador e nenhum prefeito nas capitais espera inaugurar uma nova era nas eleições municipais. A ideia é eleger entre quatro e seis prefeitos em capitais, doze em cidades médias e mais de 1.500 vereadores. Enquanto nas eleições de 2016 o PRTB apresentou cerca de 6.500 candidatos, neste ano o número pode até dobrar.

O próprio Levy Fidelix será candidato: brigará pela prefeitura de São Paulo apresentando-se como o verdadeiro nome da direita brasileira. Fidelix é uma figura carimbada nas eleições: já foi candidato a prefeito, deputado estadual, deputado federal, governador, presidente. Nunca ganhou nada, mas ainda continua sonhando.

 

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma reposta