Notícias

Diretor do DGHPP destaca combate às milícias no Rio e anuncia reunião com delegados de outros estados

Antônio Ricardo voltou a falar dos mais de 90 milicianos presos desde janeiro e destacou que, na Baixada, região chegou a ficar 36 horas sem homicídios

O diretor do Departamento Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa (DGHPP), Antônio Ricardo Lima Nunes, anunciou que nos dias 18 e 19 deste mês a Polícia Civil irá realizar um encontro entre diretores de departamento de homicídios do Brasil nas sedes da Cidade da Polícia, no Jacaré, e na Academia da Polícia (Acadepol), no Centro. Ao GLOBO, o delegado afirmou que a redução dos homicídios é um dos grandes objetivos das especializadas, e destacou o combate às milícias no Estado do Rio.

Estamos fazendo um esforço em prol da redução dos homicídios em todo o Brasil. Só neste semestre identificamos seis cemitérios clandestinos. Prendemos milicianos, mais de 90 em oito meses. Na Baixada Fluminense, tivemos números impressionantes. No mês passado, chegamos a alcançar 36 horas sem um homicídio registrado no município. Levando em conta que a Baixada já teve mais de 30 mortes num único dia, isso é animador e significa muito — afirmou Antônio Ricardo.
De acordo com ele, o encontro com diretores de outros estados possibilitará “a troca de experiências positivas que deram certo nos outros estados”. Quem também foi convidado para participar das reuniões foi o ministro da Justiça, Sérgio Moro, mas sua presença não foi confirmada até então. O Ministério de Justiça e Segurança Pública custeou boa parte das passagens e hospedagens para os policiais civis.
De acordo com o delegado Antônio Ricardo Lima Nunes, diretor do Departamento Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa (DGHPP) , o encontro possibilitará “a troca de experiências positivas que deram certo nos outros estados”. O ministro Sérgio Moro foi convidado para o encontro. Entretanto, sua assessoria não informou se ele virá ou não ao evento.
Segundo a Polícia Civil, o evento terá como objetivo a troca de experiências positivas entre as polícias civis,  com integração de ações exitosas que melhoraram os índices de resolução de homicídios nos seus respectivos Estados.
Também serão debatidos outros temas sobre a investigação de homicídios como adoção de técnicas investigativas inovadoras, adoção de metodologias unificadas para quantificação das taxas de elucidação. Será discutida ainda a unificação da sigla DHPP para os departamentos de homicídios e proteção à pessoa das polícias civis, além de estratégias de melhorias de resultados nas operações Cronos 1 e 2 , ações nacionais de cumprimento de mandados de prisão em desfavor de homicidas”.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma reposta