Notícias

Investimento em infraestrutura será um das prioridades para Welberth Rezende

Macaé – Em entrevista nesta sexta-feira (23) ao colunista política Sidney Rezende e ao repórter José Eduardo Vieira, o pré-candidato à Prefeitura de Macaé, Welberth Rezende (Cidadania), afirmou estar preparado para ajudar as pessoas. Ao basear a sua pré-candidatura à continuidade a sua trajetória política considerada como o seu “chamado”, o deputado estadual demonstrou dados que apontam um momento difícil para a arrecadação da cidade para os próximos anos, ao destacar o ICMS (Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços) como um apoio para o equilíbrio financeiro da cidade, e apontou que o investimento em infraestrutura será um dos pontos centrais do seu plano de governo.

“Ouvimos muito das demandas da cidade. Sabemos quais são os problemas das pessoas e tenho muita vontade de ajudar”, defendeu Welberth.

Um assunto que foi bastante debatido na live foi sobre o abastecimento de água. O pré-candidato pretende cobrar com veemência da Nova Cedae investimentos na cidade para melhorar a qualidade do serviço.

“É um ponto que as pessoas realmente reclamam. E essa questão da água precisa ser resolvida. É uma garantia nossa: vamos resolver o problema. A Cedae tem uma estação desde os anos 80 para produzir 200 litros de água por segundo. Hoje ela já trabalha no seu limite com produção de 750 litros. Batalhamos na Alerj para garantir investimentos para a construção de uma nova estação de captação. Já conseguimos garantir a segurança do sistema que já está instalado. Existem muitos bairros que não tem rede. Precisamos colocar rede onde não tem e aumentar a oferta de água, através de mais investimentos para a nova estação de captação. E precisa ser com a Cedae mesmo””, disse.

Atual presidente da Comissão de Turismo da Alerj, Welberth Rezende destacou que o setor turístico terá uma atenção especial em sua gestão, caso seja eleito.

“Macaé é nota A neste segmento segundo o Ministério do Turismo. Somos a segunda maior rede hoteleira do Estado. Podemos crescer em vários segmentos. Hoje o turismo de negócios é a principal veia, devido a dinâmica do mercado de óleo e gás. Podemos avançar na parte do turismo de eventos. Temos hoje um Centro de Convenções parado. A nossa ideia é fazer uma PPP (Parceria Pública Privada) para administrar o espaço. Também temos uma grande capacidade com o turismo de lazer, com patrimônios naturais e históricos e podemos criar atrativos artificiais”, frisou.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma reposta