Skip to main content
Notícias

Quem ficar no governo Witzel deve se desfiliar do PSL, avisa Flávio Bolsonaro

Presidente estadual do PSL, senador exigiu que partido saísse da base do governador na Alerj

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), presidente da sigla em seu estado, divulgou uma nota comunicando que “filiados ao partido não devem exercer cargos no governo Wilson Witzel “. A seu pedido, o partiu declarou que não é mais parte da base de apoio do governador na Assembleia Legislativa do Rio ( Alerj ) nesta segunda-feira.

“Aqueles que quiserem permanecer devem pedir desfiliação partidária. Nossa oposição não será ao Estado do Rio, mas ao projeto político escolhido pelo governador Wilson Witzel”, diz o texto encaminhado pela assessoria do senador. “Lamentável ainda ver na imprensa críticas e declarações infelizes sobre o presidente Jair Bolsonaro. O PSL-RJ reitera seu compromisso com a recuperação do Estado do Rio de Janeiro.”

Leia : Senador Flávio Bolsonaro determina que PSL deixe o governo Witzel, mas desembarque é tímido

Atualmente, dois políticos do PSL comandam secretarias no governo Witzel. Leonardo Rodrigues, à frente da pasta de Ciência e Tecnologia, diz que ficará no cargo. Ele é suplente de Flávio Bolsonaro no Senado.

VEJA: TCE recomenda rejeição das contas do governo e alerta rombo de R$ 13 bilhões da gestão Witzel

Já a secretária de Vitimização e Proteção à Pessoa com Deficiência, a deputada federal licenciada Major Fabiana, espera conversar pessoalmente com Flávio Bolsonaro para anunciar os próximos passos.

Além da renovação do Regime de Recuperação Fiscal com a União, que deverá ser votada no plenário da Alerj em outubro, Witzel enviará um outro projeto considerado essencial para o governo ainda este mês: a desvinculação de fundos, que permite remanejamento de verbas. Há ainda a votação do Fundo de Combate à Pobreza, que pode garantir ao governo alguns bilhões a mais em 2020.

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply