GSM

Samuel Malafaia: O estigma de Saul

Por causa de seu orgulho e desobediência aos padrões estabelecidos por Deus, menosprezando o conselho das pessoas que queriam o seu bem, mas que contrariavam suas ideias, Saul acabou rejeitado e perdendo o reino, sendo substituído por Davi
Assistimos à queda de um presidente que tinha tudo para ser um dos mais importantes mandatários da história dos Estados Unidos. Sua eleição foi fruto das orações dos norte-americanos, apoiado pelos pastores e pelas igrejas. Com grande parte da sociedade a seu lado, o presidente Trump se apresentou rico, saudável, perspicaz e cheio de planos para o futuro.
Se estava na vontade de Deus e ganhou as eleições, por que o presidente norte-americano perdeu quando poderia continuar? Encontro relação para essa derrota quando leio o relato bíblico sobre o crescimento, a fama e o abatimento do rei Saul, escolhido por Deus para ser o rei de Israel, numa ocasião em que o povo clamava por um líder maior que o colocasse em igualdade com as outras nações.
Vejamos alguns fatos interessantes: Saul foi escolhido por Deus e ungido (unção significa autoridade divina). Saul era humilde, tanto que se escondeu na multidão para que o profeta Samuel não o aclamasse. Transformado em rei, Saul reuniu um exército e libertou a cidade de jabes-Gileade de um inimigo cruel, e assim provou sua capacidade para liderar o reino.
Entretanto, à proporção que ia crescendo, passou a ignorar seu maior conselheiro, o sumo sacerdote Samuel e os anciãos, tomando decisões descabidas a ponto de usurpar a autoridade eclesiástica. Condenou o seu próprio filho Jônatas à morte através de uma lei imprudente e estúpida e por último se opôs à determinação de Deus para que não poupasse o rei pagão chamado Agague.
Por causa de seu orgulho e desobediência aos padrões estabelecidos por Deus, menosprezando o conselho das pessoas que queriam o seu bem, mas que contrariavam suas ideias, Saul acabou rejeitado e perdendo o reino, sendo substituído por Davi.

Concluo, então que, ainda que o presidente de uma nação seja escolhido pelo próprio Deus, aclamado e elevado por seu povo, exaltado pelas lideranças do seu país, se esse homem se deixar dominar pelo orgulho e pela vaidade, achando que só ele tem razão em todas as demandas, e é o dono da verdade, então indubitavelmente estará traçando a sua queda.

*É deputado estadual (DEM)

Jornal Odia 24/11/2020
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma reposta