Skip to main content
Rio de Janeiro

Encontro com Wagner Coe fala sobre os desafios na subprefeitura da Tijuca para 2021

As subprefeituras podem ser consideradas uma das instâncias mais importantes na administração municipal, pois é por meio delas que o cidadão tem o contato mais direto com o poder público e consegue perceber se suas reivindicações são de fato atendidas. O principal responsável pela coordenação deste órgão é o subprefeito, mas como as atribuições do cargo são diversas ele conta com um “braço-direito” para atender as demandas da população, no caso, o chefe de Gabinete Rodrigo Cunha que muito bem nós fez contato via WhatsApp viabilizando meu encontro com amigo das antigas hoje Subprefeito da Grande Tijuca.

“O maior desafio será ordenar o espaço urbano na Grande Tijuca e recuperar a alegria e a autoestima da população dessa região, tão abandonada pelo governo anterior. Minhas expectativas são: entregar uma região melhor cuidada, revigorada e com um morador mais confiante na administração pública”, afirma o subprefeito.

Coe conhece bem o campo de atuação. São 37 anos de Grajaú, bairro onde casou em 1993, com Maria Alice Ripper – grajauense nata, onde também nasceram e cresceram seus 3 filhos, onde reside até hoje e de onde não pretende sair, segundo ele mesmo. A sua vida política é o trunfo para fazer uma boa gestão na Subprefeitura.

Wagner Coe começou na política em 2000,na campanha para prefeito de Cesar Maia, como coordenador de projeto, na Secretaria de Esportes e Lazer, com o secretário Gustavo Cintra. Virou diretor técnico e, posteriormente, chefe de gabinete, cargo que teve até 2008. Após esse período, assumiu o controle e a presidência da Associação Atlético Light, no Grajaú, onde permaneceu por 10 anos. No cargo, foi premiado como “Melhor presidente de clubes” e também durante a gestão o clube foi eleito o “Melhor campo de pelada do Rio de Janeiro”, pela Rádio Bandeirantes, pelos jornais Vila em Foco e O Globo. Em 2016, foi para a Subsecretaria Municipal de Esportes e Lazer, no Governo de Eduardo Paes, em seguida foi convidado a assumir uma diretoria na Fundação Roquete Pinto, até ser convidado, em 2019, para ser subsecretário de Infraestrutura e Obras do Estado do Rio de Janeiro, onde esteve até 31 de dezembro de 2020.

 

Print Friendly, PDF & Email

Leave a Reply